Liquid Flow

É uma das terapias que mais se baseia nos princípios e métodos do Watsu. Foi desenvolvida por dois terapeutas do Quiet Healing Center, em Auroville, na Índia, de frente para um cenário de floresta e mar, num ambiente que junta vários tratamentos complementares e alternativos, numa espécie de work in progress comunitário de diferentes áreas. Ou seja, um pequeno paraíso de bem-estar. 

 

Origem 

Entre as atividades deste centro, existe uma secção dedicada às terapias aquáticas, com uma piscina aquecida a 35 graus onde diversos terapeutas desenvolvem as suas práticas. Dariya e Daniel são a dupla de residentes que criaram este conceito chamado Liquid Flow, uma série de movimentos e toques que resultaram num estilo muito próprio, em consonância com as bases do Watsu. No centro e também noutros locais do mundo, são várias as pessoas dedicadas às terapias aquáticas que tiveram formação específica neste estilo, e muitas estão ligadas ao Liquid Zome. Por isso, estejam atentos! 

 

A experiência

É diferente porque mistura as qualidades do Watsu, do OBA (Oceanic Bodywork Aqua), da Healing Dance e da Water Dance. A terapia começa à superfície, enquanto o corpo vai relaxando, com movimentos suaves mas contínuos, para que os músculos e as articulações recebam os efeitos da água morna. 

Antecipadamente, pode-se combinar a colocação de um clip no nariz, para que seja possível desfrutar da segunda parte desta massagem: a submersão. É neste ponto que a experiência se torna mais profunda e relaxante. A sensação assemelha-se à passagem de rio por nós, numa fluidez de água que nos conforta e alonga o corpo. 

 

Os benefícios

São imediatos, mas também se prolongam pelo tempo. As massagens na água são uma forma única de libertar tensões e descansar o corpo. São um veículo de tratamento de lesões ou dores musculares. Mas são sobretudo um momento de ganhar confiança e desfrutar uma sensação de entrega que nos leva a ultrapassar barreiras e a deixar fluir a mente. A sessão termina com um suave retorno ao mundo exterior, para que o impacto não seja repentino. Há um “acordar” que nos desperta emoções e paz interior. Esta sensação de flutuar permanece mesmo quando pomos os pés no chão, e mantém-se quando caminhamos em terra firme, depois desta experiência maravilhosa. 

 

Share on facebook
Share on twitter
Share on linkedin
Share on pinterest
Share on telegram
Share on whatsapp
Share on email

Leave A Comment

Artigos Relacionados

A magia da massagem sacro-craniana

A massagem sacro-craniana faz-se habitualmente após uma massagem normal na água, que à partida nos deixa com o relaxamento necessário para receber o bombom final. É algo um pouco inexplicável, porque só experimentando podemos sentir o que uns toques aparentemente simples alteram a nossa disposição e bem-estar. Realinhamento, despertar, abrir percepções, descansar, deixar de sentir peso e tensão facial… É

Ler mais >>
Marina Sans

Fascia e a experiência somática na água

Esta viagem começa com o encontro com Marina Sans, fundadora do Liquid Cosmos, um estilo muito particular, desenvolvido por esta deusa das águas, mestra de Aguahara e eterna curiosa sobre os mistérios que envolvem o nosso corpo. Um deles é a fascia, uma camada que é como uma rede, que se encontra em todas as partes do corpo (entre  a

Ler mais >>
Aguahara

Aguahara

Voo aquático Explorar as nossas capacidades dentro de água é algo muito compensador. Sentir até onde vai o poder de um relaxamento profundo, de nos entregarmos aos movimentos suaves e fluídos é altamente libertador. A sensação após uma sessão é de um enorme bem-estar. Mas não é só naquele momento que sentimos essa revitalização. Os dias que se seguem são

Ler mais >>

Underwater Love

Está a aproximar-se o dia dos namorados e todos precisamos de recordar bons momentos e projetar coisas boas para um futuro próximo. Porque não um VOUCHER para uma sessão individual ou a dois? Pode ser utilizado em qualquer altura do ano, quando todas as medidas de confinamento estiverem mais aliviadas e a nossa agenda incluir programas fora de casa, noutras paragens. Até lá,

Ler mais >>
Watsu Harold Dull

WATSU – terapia e reabilitação na água

Quando aplicada na água, a técnica de massagens japonesas shiatsu ganhou um novo termo: watsu. O seu criador foi Harold Dull, poeta e professor de literatura norte-americano que nos anos 1980 começou por se interessar pelo zen shiatsu e depois o aplicou na água, no ambiente das termas naturais de Harbin, na Califórnia. Num dos livros que escreveu sobre o

Ler mais >>